© Paulo Abreu e Lima

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Curiosidade

Não sei quem me lê. Só conheço pessoalmente cinco ou seis leitores, entretanto meus amigos. Das poucas centenas que por cá passam diariamente, sei nada. Serão amigos doutras guerras, inimigos (sim, também os tenho), cadastrados, alcoólicos, gente simpática? O que os leva a demorar mais de uma hora por aqui? Ou alguns segundos? Serão sempre os mesmos? Gostava de os ver todos reunidos numa sala, olhá-los de frente e cumprimentá-los cordialmente. Gostava de lhes agradecer a visita, mas também de saber o que procuram. Um dia um indivíduo perguntou-me como se ganha dinheiro. Respondi o óbvio: trabalhando, herdando ou ganhando o euromilhões. Empertigado, perguntou-me se era preciso ser economista para saber isso. Não era, mas também não era necessário não o ser para desconhecê-lo. Daqui posso inferir que pouco interessa conhecer o que procuram, apenas perceber que a curiosidade não mata pessoas de nenhum dos lados. Sejam, pois, sem perguntas, muito bem-vindos.

8 comentários:

  1. Eu,que sou uma curiosa por natureza, gosto particularmente deste post, porque se é verdade que também partilho da vontade de saber quem está do lado de lá das palavras, quem são as pessoas que lêem, como soam as suas vozes e risos, que caras têm, o que fazem, do que andam à procura, acho, ao mesmo tempo, que é em parte nesse mistério que reside muito do interesse deste mundo tão peculiar.

    (Sei que não fez perguntas, mas apetece-me responder, ainda que muito do que lhe vou dizer, já o Paulo sabe. Eu passo por aqui todos os dias e às vezes mais que uma vez. Algumas vezes também passo à pressa, mas na maior parte delas demoro-me muito tempo. Porque sou capaz de ficar parada a olhar demoradamente uma fotografia, porque gosto de ler, de ver e de ouvir o que encontro por aqui, ainda que possa não estar de acordo. Porque gosto da maneira como escreve e pensa e diz, ainda que seja muito diferente da minha. Ou talvez por isso mesmo. Já aprendi muita coisa e por aqui sinto-me sempre bem.
    Não é para ficar vaidoso, mas já lhe disse muitas vezes (e com sinceridade, que eu não sou de "baboseiras") que este é para mim o mais bonito dos blogs que eu conheço, o número um no top das minhas preferências, um dos motivos que me leva a achar que a blogosfera vale a pena.
    Parabéns Paulo e obrigada por estar aí!

    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, Isabel, mas como se diz, a curiosidade só matou o gato ('tadinho).

      Grato pelas visitas, beijinho :)

      (Como dizia uma das últimas boas figuras do Herman, há paletes de blogues muito "melhores" - seja lá o que isso signifique - do que este, é só procurar. E isto não é falsa modéstia, é a minha opinião agora discordante da sua, a sério)

      Eliminar
  2. Eu por aqui passo sem qualquer explicação ou porquê plausível... É um pouco como quem pára, olha, ouve e cumprimenta a quem passa na rua.
    Quanto aos blogues muito "melhores" que o Paulo menciona no comentário à Isabel: eu não sei se são melhores, mas este é tão bom. E sossegadinho. Sem dramas... Ah que bom que é! ☺ E vou passando, claro está, como sempre faço com os sítios onde me sinto bem ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Anita. Jamais teria um blog para me sentir mal. ;)

      Eliminar
  3. Pois eu não sou economista e estou tentada a crer que ganhar dinheiro, só herdando ou ganhando o euromilhões. A trabalhar não ganhamos. Somos pagos por algo que damos. E cada vez damos mais por menos ... Desabafos de alguém que trabalha na área da engenharia! ;)
    Eu não sou de outra guerra ( detesto guerras! ), não sou inimiga ( mas porque havia de ser?! ), não sou cadastrada ( pelo menos até ao dia de hoje ! ), não sou alcoólica ( mas gosto de um copito, isso gosto! ), e não sou propriamente uma pessoas simpática ( vai-se lá saber porquê! ;) ) ,mas gosto deste Blog. É um sítio bonito, simpático e sem stress, onde se vê fotografias bonitas e se lê textos interessantes.
    A curiosidade é mútua Paulo. O blogger faz dos seus seguidores as mesmas perguntas que os seguidores fazem do blogger. Faz parte deste meio de comunicação, nada mais do que isso. O mesmo acontece quando lemos um livro que nos toca, em relação ao autor. Quando ouvimos uma música que nos enche, em relação ao compositor. São curiosidades sadias na relação de quem dá e quem recebe com prazer!
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembre-se que acabei por não perguntar nada, Maria João ;)
      De qualquer forma, não se esqueça que até sei umas coisas suas. Que é adequadamente simpática, por exemplo.
      Beijinho, grato pelas visitas :)

      Eliminar
  4. Olhe, e eu venho aqui pelas fotos. Já tinha pensado na 'desigualdade' que há entre quem tem os blogues e quem aparece, desobrigadamente, a vê-los. E até me tinha questionado num dia de maus humores: mas que tenho eu de vir ''p'ràqui perder tempo''? Coisas do lazer, da descoberta, do dolce fare niente, do enquanto estou aqui não faço mais nada embora tenha montes de coisas para fazer, da pasmaceira que é isto tudo: net, blogues, facebook's e afins, tudo isso! mas, pronto, está bem, rendo-me: gosto das fotos e fico ali a olhar, a olhar ... e até guardo algumas, só para mim, com certeza. Cumprimentos de alguém que nem sabe quem o senhor é. Luísa

    ResponderEliminar